Skip to main content
Dor no cotovelo ou “dor de cotovelo”!? Há ajuda?
publicado em 03 Out. 2018

A dor no cotovelo é um sintoma frequente e que, muitas vezes, condiciona a limitação funcional e perda da qualidade de vida. As causas mais frequentes são a epicondilite lateral e medial, também designadas de doença do tenista e golfista respetivamente. Essas patologias caracterizam-se pelo aparecimento de dor na face lateral ou medial do cotovelo, numa região anatómica óssea designada epicôndilo, onde se inserem os tendões responsáveis pelos principais movimentos do punho. A origem do problema está associada ao uso repetido ou exagerado desses tendões, de que são exemplos clássicos os desportos que lhes dão o nome (o ténis e o golfe), mas curiosamente, na maioria dos doentes, é o posicionamento vicioso ao computador ou os esforços repetidos no trabalho, que estão na génese do problema.

 

Geralmente a dor com irradiação para o antebraço é o sintoma prevalente, agrava progressivamente com o esforço, e surge por vezes associado à falta de força na mão. É comum a incapacidade para a realização de tarefas tão simples como pegar num objeto, abrir uma porta, dar um aperto de mão ou escovar os dentes.

 

O diagnóstico é feito com base na história clínica e exame objetivo mas poderá ser necessário realizar exames complementares (por exemplo radiografia, ecografia, ressonância magnética ou eletromiografia) para estratificar a doença e excluir outras patologias.

 

O repouso e a modificação das atividades desencadeadoras, assim como o uso de ortóteses e tratamento fisiátrico, permitem controlar a doença em mais de 90% dos doentes. Infelizmente não tão rápido como seria desejável, pelo que é um processo que requer paciência e perseverança de todos aqueles envolvidos no tratamento. O uso de infiltrações com corticóides, muito utilizadas no passado como forma de aliviar rapidamente os sintomas, são atualmente desencorajadas porque podem condicionar um pior resultado a longo-prazo. Mais recentemente demonstrou-se que o uso de infiltrações com plasma rico em plaquetas (retirado do sangue do próprio doente) tem revelado resultados promissores, pelo que cresce o entusiasmo com a sua utilização. A cirurgia está reservada para os casos resistentes ao tratamento conservador e consiste em retirar a parte de tendão lesada. Antigamente só era possível realizá-la através de “cirurgia aberta” o que implicava um período de reabilitação doloroso e prolongado. Atualmente é possível fazê-lo por técnicas minimamente invasivas (artroscopia) que comprovadamente permitem uma recuperação mais célere e com o mesmo resultado final.

 

Quanto à “dor de cotovelo”, isso é outro problema… É uma expressão muito popular, sinónimo de inveja, e infelizmente para essa dor a Medicina ainda não tem solução.

 

Para esclarecimento de qualquer dúvida, não hesite em contactar os nossos Ortopedistas especializados em Mão, Punho e Cotovelo, em qualquer uma das unidades do Trofa Saúde Hospital.

 

Referências bibliográficas:
Jayanthi N. Epicondylitis (tennis and golf elbow). UpToDate. 2017