Skip to main content
Importância de estar atento aos problemas renais
publicado em 03 Ago. 2022

Os rins, órgãos que fazem parte do sistema genitourinário, são responsáveis por várias funções essenciais ao normal funcionamento do nosso corpo, nomeadamente regulação da quantidade de água corporal, eliminação de toxinas e produção de vitaminas e outras substâncias.

A doença renal crónica (DRC) define-se pela presença de alteração da função renal e/ou da estrutura dos rins com duração de pelo menos 3 meses.

Não é conhecida a verdadeira prevalência de DRC em Portugal, uma vez que nas fases iniciais esta pode ser silenciosa, detetada apenas pela presença de alterações nas análises do sangue (ex: elevação do valor de ureia e/ou creatinina) e/ou urina (presença de proteínas e/ou sangue).

 

Os sintomas surgem, geralmente, numa fase mais avançada da doença renal e são maioritariamente inespecíficos o que atrasa o diagnóstico. Alguns dos sinais e sintomas incluem edema (“inchaço”) sobretudo dos membros inferiores, urina com espuma ou sangue, urinar várias vezes durante a noite, cansaço e perda de apetite.

 

Existem vários fatores de risco para doença renal, sendo os mais comuns a idade avançada, história familiar de doença renal, história de litíase (“pedra” nos rins) ou gota, hipertensão arterial, diabetes mellitus e obesidade.

Os doentes com um ou mais fatores de risco devem manter seguimento médico regular, sendo aconselhável a realização de exames ao sangue e urina, pelo menos, anualmente. A vigilância e o controlo rigoroso destes fatores de risco permite, muitas vezes, prevenir ou atrasar a progressão da DRC. Fases mais avançadas da doença renal associam-se a outras complicações, como a hipertensão por retenção de líquidos, anemia e alteração dos valores do cálcio, fósforo e vitamina D, com impacto na saúde dos nossos ossos.

 

Perante uma alteração significativa da função renal, o doente deve ser vigiado em consulta de Nefrologia para uma melhor orientação diagnóstica e terapêutica.

 

Na ausência de tratamento, a DRC pode progredir para DRC “terminal” com necessidade de realização de tratamento de substituição da função renal como hemodiálise, diálise peritoneal ou transplante renal.

 

A adoção de um estilo de vida saudável e a vigilância médica regular nos doentes com fatores de risco são essenciais para prevenir a DRC.