Skip to main content
O papel da Psicologia do sono
publicado em 29 Jul. 2022

O sono é uma necessidade fisiológica essencial à sobrevivência, pelo que passamos 1/3 da nossa vida a dormir. Se o sono for eficiente, em quantidade e qualidade, melhora várias capacidades cognitivas, desde o simples estado de alerta até às funções executivas superiores, contribuindo para o bem-estar físico e mental.

 

Apesar da sua importância, com um papel relevante no desempenho cognitivo, no humor, na tomada de decisão, entre outras, o sono é, muitas vezes, negligenciado. É importante saber que dormir mal tem consequências associadas que podem surgir a curto ou a longo prazo.

Os efeitos negativos da privação de sono estão bem documentados, conhecendo- se o seu impacto na saúde física e psicoemocional.

As perturbações de sono podem surgir como sintoma ou consequência de uma condição psicológica preexistente, mas também como causa ou contribuir para o aparecimento de outras perturbações psicológicas, sendo que os estudos mais recentes estabelecem uma relação bidirecional entre a insónia e outras condições como perturbações da ansiedade, depressão ou stress pós-traumático.

Tal como em outras áreas de especialidade, também na Psicologia existem psicólogos com formação específica na área das ciências do sono. Estes psicólogos estão inseridos, habitualmente, em equipas multidisciplinares e podem ajudar a vários níveis, desde do diagnóstico até ao tratamento de diferentes perturbações do sono.

 

O tratamento da insónia é uma das principais áreas de intervenção da Psicologia do sono, sendo o tratamento não farmacológico recomendado como terapia de primeira linha, com eficácia reconhecida. Esta intervenção, combinando terapia cognitiva (foco nos padrões de pensamento e preocupações que o impedem de dormir), e comportamental (ajuda na aprendizagem de novos hábitos de sono, através de mudanças que contribuam para um bom sono), inclui também uma componente psicoeducacional (ajuda a perceber a natureza do sono e, assim, desmistificar mitos e crenças associados).

 

Nas outras perturbações do sono, o papel do psicólogo é fundamental para a motivação para a mudança de estilos de vida, compreensão dos diagnósticos e resolução de aspetos que podem dificultar a adesão às terapêuticas.

Os problemas de sono são complexos e multifatoriais, assim, a Psicologia do sono incide em fatores de diferentes naturezas, como fisiológicos, cognitivos, emocionais, comportamentais, sociais e afetivos, que vai permitir uma intervenção especializada e personalizada às necessidades específicas de cada pessoa, na medida em que não existem soluções iguais para duas pessoas com o mesmo diagnóstico.

A consulta de Psicologia do sono destina-se a pessoas de todas as idades com queixas relacionadas com o sono, contribuindo para uma melhor relação com o sono e para o tratamento eficaz dos seus problemas.

 

Se identifica alguma perturbação do sono, procure um profissional especializado. A intervenção precoce é importante na redução dos riscos associados. Se não sabe qual a especialidade que mais se adequa às suas queixas de sono, procure um psicólogo do sono, que irá ajudar a definir um plano terapêutico focado no sono e também no seu bem-estar geral.