Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

12 novembro 2021

Merece um sono de qualidade: saiba como!

A nossa sociedade desvaloriza o sono. Contudo, sem dormir, não sobrevivemos. O sono permite descansar o corpo e a mente, consolidando o humor, a memória e o sistema imunológico. A falta de sono por si só leva ao aumento do peso e do risco de Diabetes e eventos cardiovasculares, tal como o Acidente Vascular Cerebral e o Enfarte Agudo do Miocárdio.

Passamos um terço das nossas vidas a dormir, pelo que investir no sono é investir em si. Não pense que é o único a dormir mal. O número de pessoas com insónia, ou seja, dificuldade em dormir é elevadíssimo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 40% da população não dormem bem. E estes números aumentaram ainda mais desde o início da pandemia.

Por que é que dormimos tão mal?
Os maus hábitos de sono, a ansiedade, depressão e dor crónica podem levar à dificuldade em dormir. Outra causa frequente de insónia crónica (dificuldade em dormir há mais de 3 meses) é a Apneia do Sono.

A Apneia obstrutiva do sono é caraterizada por episódios de obstrução das vias aéreas superiores durante o sono, resultando em paragens respiratórias. É uma doença muito frequente, que pode afetar até 1/4 das mulheres e 50% dos homens. Os sintomas da Apneia obstrutiva do sono incluem o ressonar, episódios de engasgamento/ sufocamento durante o sono, pausas respiratórias descritas pelo(a) parceiro(a), sonolência diurna excessiva, nictúria (urinar frequentemente durante a noite), diminuição da concentração, irritabilidade, fadiga, perda de memória e até dores de cabeça pela manhã. A Apneia obstrutiva do sono tem consequências cardiovasculares importantes para além de interferir na qualidade de vida. Assim, é preciso estar atento aos sintomas mais frequentes. Existem outras causas menos frequentes, tal como os Distúrbios dos movimentos das pernas (repetidos movimentos das pernas durante a noite que fragmentam o sono) e os Distúrbios do ritmo circadiano (desregulação do nosso relógio interno).

Se tem insónia, o primeiro passo é mudar a sua higiene do sono:

  • Mantenha um horário regular de sono;
  • Exponha-se à luz solar de manhã, mas evite a exposição à luz intensa à noite;
  • Pratique exercício físico diariamente, evitando as 3 horas antes de dormir para a prática de exercício;
  • Use o quarto apenas para dormir e para a atividade sexual: retire os equipamentos eletrónicos do quarto, incluindo TV e telemóvel;
  • Evite a cafeina, álcool e nicotina 4 a 6 horas antes de dormir;
  • Desligue os dispositivos eletrónicos pelo menos 30 minutos antes de dormir (TV, tablet, telemóvel).

Se estas técnicas não forem suficientes, procure uma Consulta de Medicina do Sono. Irá realizar um estudo do seu sono (Polissonografia) de forma a identificar a causa da insónia. Se não tiver qualquer doença associada (tal como a Apneia do sono ou movimentos de pernas), a terapia cognitivo-comportamental do sono constitui o tratamento mais eficaz para resolver a insónia definitivamente. A medicação para dormir pode ser uma solução temporária na insónia aguda, mas nunca deve ser a primeira opção na insónia crónica.

Não precisa de dormir mal. Procure ajuda para viver melhor!

Dr.ª Sílvia Correia (OM43249), Coordenadora de Pneumologia no Trofa Saúde Boa Nova e respon¬sável pelo Laboratório do Sono no Trofa Saúde Boa Nova e Braga Sul e membro do corpo clínico no Trofa Saúde Braga Sul

Voltar

02 janeiro 2022

Quedas no inverno: como evitá-las?

28 dezembro 2021

Anda a “passear um papo”?

10 dezembro 2021

Smartphone: o nosso melhor amigo ou pior inimigo?