Voltar

Notícias e Eventos

Destaques do Trofa Saúde

08 maio 2021

Desvio do septo nasal – Sintomas e tratamento

O que é o desvio do septo nasal?
O septo nasal é uma estrutura que divide as duas fossas nasais, sendo constituído anteriormente por cartilagem (cartilagem quadrangular) e posteriormente por osso (lâmina perpendicular do etmoide e vómer). O desvio do septo nasal ocorre quando este se encontra desviado da linha média – a sua localização normal.

Quais são as suas causas?
A causa mais frequente é o trauma da pirâmide nasal, ainda que possa ocorrer durante o desenvolvimento fetal.

Quais são os sintomas?
Esta condição provoca um estreitamento da fossa nasal do lado do desvio, dificultando a passagem do ar. O aparecimento de sintomas é influenciado não só pelo grau do desvio, mas também pela sua localização. Os doentes podem não apresentar sintomas ou apresentar queixas funcionais e/ou estéticas.

As queixas funcionais mais comuns são a obstrução nasal e a secura da mucosa bucal (consequente à respiração pela boca). Podendo também ocorrer secura da mucosa nasal, formação de crostas, epistáxis (hemorragia nasal), alteração da qualidade do sono e roncopatia (ressonar).

Desvios anteriores (da cartilagem) do septo nasal podem condicionar uma deformidade da pirâmide nasal (nariz “torto”), causando queixas estéticas.

Como é feito o diagnóstico?
Habitualmente é realizado pelo exame objetivo em consulta de Otorrinolaringologia, ainda que exames complementares de diagnóstico, como a endoscopia nasal e a tomografia computorizada dos seios perinasais, possam contribuir para uma melhor caracterização do desvio do septo nasal e/ou exclusão de outra patologia associada.

Qual é o tratamento?
A necessidade de tratamento é determinada pela sintomatologia do doente. Nos doentes assintomáticos não é necessário tratamento. Quando os sintomas afetam a qualidade de vida do doente e não existe outra patologia associada que justifique os sintomas e que seja passível de tratamento médico (lavagens nasais, corticoides tópicos, anti-histamínicos), está, então, indicado o tratamento.

A correção do desvio do septo nasal é realizada através de uma cirurgia simples – a septoplastia. Esta cirurgia é realizada sob anestesia geral, no bloco operatório, e tem uma duração de 30 a 60 minutos.

Nos casos de rinite, este procedimento cirúrgico é frequentemente associado a turbinoplastia (cirurgia dos cornetos inferiores). Podendo ser igualmente associado à cirurgia endoscópica nasossinusal, nos casos de rinossinusite, à rinoplastia funcional, nos casos de insuficiência valvular (“colapso das narinas”) ou estética, para correção de uma deformidade da pirâmide nasal (bossa ou “nariz torto”, por exemplo).

Habitualmente, não há necessidade de colocar tamponamento nasal, sendo o pós-operatório geralmente indolor. É realizada frequentemente em regime de ambulatório (menos de 24 horas de internamento). Durante o período de recuperação (variável, em média 7 a 12 dias), o doente deverá evitar esforços e ambientes muito quentes.

Dr.ª Raquel Bento (OM52962), Médica especialista em Otorrinolaringologia no Trofa Saúde Amadora e Loures

Voltar

15 outubro 2021

Inteligência Artificial na Oftalmologia: o futuro chegou!

12 outubro 2021

Osteoartrose: o preço da longevidade?

11 outubro 2021

Os exames de rotina na promoção da saúde