Voltar

Notícias e Eventos

Destaques do Trofa Saúde

24 dezembro 2018

Infeções do trato urinário

As infeções urinárias, nomeadamente a cistite, são uma das causas mais frequentes de recorrência ao serviço de urgência.

O termo cistite refere-se a uma infeção urinária que afeta a bexiga, sendo esta a mais comum das infeções das vias urinárias. Esta patologia afeta sobretudo as mulheres, com uma frequência superior em cerca de 50% à do homem, estimando-se que uma em cada duas mulheres terá pelo menos um episódio de cistite na vida (1).

Entre 75% e 95% das cistites não complicadas são causadas pela bactéria Escherichia coli (2). Esta bactéria e outras, menos frequentes, estão presentes no intestino, podendo, devido à proximidade entre a região anal e a região urogenital, colonizar a uretra e a bexiga e, em alguns casos, os rins, originando infeções do trato urinário.

Existem alguns fatores que aumentam o risco de ocorrência de cistite, como por exemplo: ser do sexo feminino, gravidez, menopausa, relações sexuais recentes, história familiar de infeções de trato urinário, diabetes mellitus e próstata aumentada.

Os sinais e sintomas mais sugestivos de cistite não complicada podem ocorrer isoladamente ou em conjunto; urinar várias vezes e em pequena quantidade, ardor/ /dor durante a micção, vontade de urinar frequente, desconforto/peso na região inferior do abdómen, presença de sangue na urina, urina mais escura/turva ou com odor mais intenso são as queixas mais frequentes apresentadas pelos doentes.

O diagnóstico de cistite não complicada baseia-se na colheita da história clínica e no exame físico. Em caso de dúvida no diagnóstico recomenda-se a análise de urina por tiras reagentes.

Uma cultura de urina antes do tratamento é recomendada nos casos de infeção complicada do trato urinário (p. ex.: pielonefrite – infeção urinária atingindo o parênquima renal – ou febre sem causa aparente em crianças até aos 12 anos de idade), para adequar o tratamento com antibiótico.

O tratamento recomendado para a cistite não complicada implica a toma de antibiótico que pode ser associado a outros fármacos que ajudam no alívio dos sintomas. Deve ser consultado um médico assim que surgirem os primeiros sintomas, por forma a iniciar o tratamento adequado atempadamente e diminuindo a probabilidade de complicações.

Alguns cuidados e comportamentos podem ter um peso importante na prevenção da ocorrência das infeções do trato urinário, nomeadamente: aumentar a ingestão de água, assegurar uma boa higiene íntima, urinar após a relação sexual, evitar o uso de espermicidas, ingerir sumos/suplementos de mirtilos ou arandos vermelhos, assim como a utilização de cremes vaginais com estrogénios na mulher pós-menopausa.

Se apresenta os sintomas mencionados acima, não hesite em dirigir-se ao Serviço de Urgência das unidades do Trofa Saúde Hospital. Um serviço assegurado por uma equipa de profissionais de excelência e com os melhores meios tecnológicos existentes.

Fontes:
(1) Norma de Orientação Clínica da Direção-Geral de Saúde Nº 015/2011, Terapêutica de infeções do aparelho urinário (comunidade). Data: 30/11/2011.
(2) Longmore M, Wilkinson IB, Baldwin A, Wallin E. Manual de Oxford de Medicina Clínica. 9ª ed. Lisboa: Euromedice; 2014: pp 288-289.

Redigido por Dr.ª Catarina Magalhães (OM54844), Dr.ª Sílvia Santos (OM50531) e Dr. Pedro Sousa (OM64148), Médicos de Medicina Geral e Familiar no Trofa Saúde Hospital em Alfena

Voltar

06 março 2021

Acordo SNS (P1): Gastrenterologia

04 março 2021

A obesidade em tempos de pandemia!

01 março 2021

Trofa Saúde Valença: JÁ ABRIU