Voltar

Notícias e Eventos

Destaques do Trofa Saúde

08 agosto 2018

Sangue na urina: o que fazer?

A hematúria designa a presença de sangue na urina, que pode ser diretamente observada (hematúria macroscópica) ou detetada na análise do sedimento urinário (hematúria microscópica). A hematúria macroscópica é causa de extrema preocupação para o doente e um motivo frequente de recurso ao serviço de urgência.

A presença de sangue na urina nunca deve ser ignorada ou desvalorizada e deve levar o doente a ser observado de forma rápida pelo urologista para excluir a presença de tumores malignos do aparelho urinário.

Na avaliação clínica de um doente com hematúria, a determinação das suas características (macroscópica/microscópica; inicial, total ou terminal; presença associada de dor ou coágulos) é essencial na identificação da localização e causas prováveis da hemorragia.

A hematúria total, que consiste na presença de sangue na totalidade do jacto urinário, é a forma mais comum e indica que a hemorragia tem origem na bexiga ou no aparelho urinário alto. A hematúria inicial (no início da micção) é rara e é sugestiva de inflamação da uretra. A hematúria terminal ocorre no final da micção e é frequentemente secundária a inflamação do colo da bexiga ou da porção prostática da uretra.

A presença de dor concomitante sugere inflamação ou obstrução do aparelho urinário (uretra, bexiga ou ureteres) por coágulos ou lesões.
Nas situações de hematúria total persistente com retenção urinária e dor, a pessoa deve ser avaliado em contexto de urgência, com algaliação e internamento para vigilância, controlo sintomático e da hemorragia e subsequente estudo e tratamento definitivo da causa.

Embora as infeções urinárias sejam causa frequente de hematúria, é essencial excluir a presença de uma neoplasia maligna do aparelho urinário (uretra, próstata, bexiga e rins), sobretudo na ausência de outros sintomas. Em pessoas com mais de 50 anos, a causa mais frequente de hematúria macroscópica é o tumor maligno da bexiga (carcinoma urotelial da bexiga), cujo principal fator de risco é o tabagismo.

O estudo endoscópico da uretra e bexiga (uretrocistoscopia flexível) é um exame fundamental no estudo diagnóstico da hematúria. É um procedimento que pode ser realizado, na maior parte das situações, em regime de ambulatório, sob anestesia local e com desconforto mínimo. Permite a visualização direta da uretra e bexiga e identificação de potenciais causas de hemorragia. A avaliação do aparelho urinário alto (rins e ureteres) baseia-se no estudo imagiológico (ecografia reno-vesical e uro-TAC), tendo o uro-TAC maior sensibilidade na deteção de pequenas lesões. Finalmente, o exame citológico da urina permite detetar células malignas no jacto de urina.

A hematúria constitui assim um sintoma urológico importante que, embora tendo frequentemente uma causa benigna, deve ser motivo de observação imediata pelo urologista para exclusão de neoplasias.

No Trofa Saúde Hospital dispomos de uma equipa de Urologistas experiente e altamente diferenciada que têm ao seu dispor as mais recentes técnicas de diagnóstico e tratamento das patologias urológicas. A consulta de Urologia existe em todas as unidades e horário alargado. Se está com alguma suspeita, não adie mais a visita ao seu médico de confiança.

Redigido por Dr. Tiago Gorgal Carvalho (OM43789), Urologista no Trofa Saúde Hospital em Alfena, Braga Sul e São João da Madeira.

Voltar

30 novembro 2020

Metrorragias na pós-menopausa

29 novembro 2020

A importância de desmistificar a Doença Mental

28 novembro 2020

Hérnia de disco cervical: o que é e como se trata?