Skip to main content
O meu bebé já nasceu. Quando devo levá-lo ao pediatra?
publicado em 22 Out. 2021

A DGS recomenda que o recém-nascido seja examinado na 1ª semana de vida, embora seja comum que a consulta se realize até aos 15 dias de vida.

 

Na minha opinião enquanto pediatra, a primeira consulta deveria ser entre os 5-7 dias de vida. E, no primeiro filho, em que às dúvidas do casal acresce a falta de experiência, o 5º dia seria a altura ideal. Há vários motivos para esta opinião, mas irei abordar apenas um: a amamentação.

 

Os dias após a alta hospitalar são o momento em que as inseguranças se instalam e começam os conselhos bem-
-intencionados mas errados que são variações de “se calhar o teu leite não é bom” ou “não deves ter leite”. Uma recém-mamã, quando chega à consulta, já foi tão posta em causa e sentiu-se tão insegura, que acabou por ceder e iniciar um leite de fórmula, na maioria dos casos desnecessariamente.

 

O leite materno é o melhor alimento para os primeiros 6 meses de vida do bebé. Nas primeiras semanas, os bebés
mamam, frequentemente, de duas em duas horas, ou menos. Não é sinal de falta de leite materno, é o comportamento normal de um recém-nascido.

 

Quando a amamentação está bem estabelecida os bebés mamam 90% do leite que necessitam em menos de 5 minutos. Por vezes, prolongam a mamada até 30 minutos, principalmente nos primeiros dias de vida. Há também os bebés ditos “preguiçosos” que adormecem ao peito. Não se preocupe: os bebés devem mamar em livre demanda e sem horários rígidos. É o mais natural e fisiológico. Ignore quando lhe dizem que o seu bebé está sempre a mamar: é a mãe quem melhor conhece o seu bebé.

 

Em relação à amamentação, há inúmeros mitos. Um deles é: choro é sempre fome. Errado! Por vezes será fome com certeza, mas nem sempre choro é fome! Há vários outros motivos para os bebés chorarem: cólicas, fraldas sujas, sono, mimo… Sim, às vezes pode-lhe parecer que o seu bebé está sempre com fome, mas lembre-se: os bebés mamam de duas em duas horas ou menos. Entre mamar, arrotar, trocar fraldas, adormecer, já se passaram duas horas e o bebé poderá ter fome novamente. Não significa que a mãe não tenha leite.

 

Depois, temos o mito mais errado: o do “leite fraco”. Não há nem leite mau, nem aguado, nem fraco. O leite materno é sempre o melhor alimento e é sempre bom! Acontece que o bebé pode chorar por todos os motivos que referi anteriormente e, ainda, porque o bebé adormece e não retira todo o leite que necessita. Mas o leite da mãe está lá, a amamentação é que poderia ser otimizada.

 

Tenho que realçar que há mães que não podem, ou não querem amamentar os seus filhos. Não devemos pressionar estas mães, nem fazê-las sentirem-se mal, o que, infelizmente, é demasiado comum. Tem havido enormes avanços nos leites de fórmula nas últimas décadas, no sentido de aproximarem o mais possível ao leite materno, sendo atualmente uma boa
alternativa.

 

Recorra ao seu Pediatra entre o 5-7º dia de vida, coloque-lhe todas as dúvidas que tiver e dedique- se ao que é importante: o seu bebé! Assim, poderá usufruir plenamente destes primeiros dias cansativos, mas maravilhosos da vida de um recém-nascido.