Voltar

Notícias e Eventos

Destaques do Trofa Saúde

19 setembro 2018

Dor na Anca

A dor na anca é um sintoma frequente e uma causa importante de limitação funcional, uma vez que esta articulação de carga é necessária para atividades triviais como caminhar, subir e descer escadas ou levantar de uma cadeira.

A dor ligeira com pouco tempo de duração, que se atribui a um esforço físico, exercício intenso ou trauma de baixa energia e que responde bem ao repouso ou analgésicos comuns como o paracetamol e o ibuprofeno, tem habitualmente uma evolução favorável.

Pelo contrário, nos casos em que a dor é moderada ou intensa, quando agrava com o passar dos dias, tem impacto nas atividades do dia-a-dia e quando não cede ao uso de medicação analgésica, deve ser avaliada pelo médico para esclarecimento do diagnóstico.

A dor pode ter diferentes causas e ser sentida como desconforto ao nível da coxa, da virilha, da nádega ou inclusive no joelho.

Artrose da Anca
É uma patologia frequente e degenerativa, com perda progressiva da cartilagem. Nestes casos a dor torna-se mais intensa com o tempo (meses a anos) e é despertada sobretudo pela carga e pelo movimento. As formas mais evoluídas e incapacitantes, que não respondem satisfatoriamente aos analgésicos, anti-inflamatórios e outras medidas conservadoras podem beneficiar da colocação de uma prótese total que permite uma franca melhoria na qualidade de vida.

Conflito femoro-acetaular
É uma alteração clínica relacionada com o movimento da anca envolvendo uma tríade de sintomas (em que a dor é o principal), sinais clínicos e alterações na morfologia da anca. Este diagnóstico é mais frequente nos jovens desportistas e pode ser uma causa de artrose precoce da anca devido à lesão de estruturas articulares como o labrum e a cartilagem. Quando a articulação está em boas condições, a correção da morfologia da anca e a reparação das lesões através de artroscopia ou cirurgia aberta podem melhorar os sintomas e permitir o retorno à atividade, incluindo os desportos.

Fraturas da extremidade proximal do fémur (colo do fémur e região trocantérica)
É um dos tipos mais frequentes de fratura e relaciona-se com o envelhecimento da população. Frequentemente resulta de um traumatismo de baixa energia num osso frágil com osteoporose. A dor é aguda e intensa e não permite a marcha. O diagnóstico baseia-se no exame clínico e radiográfico e o tratamento é cirúrgico, devendo ser realizado o mais precocemente possível.

Necrose avascular da cabeça do fémur ou osteonecrose
Ocorre devido à má irrigação da cabeça femoral que leva à morte do tecido ósseo. A dor é intensa, ocorre por surtos e inclusive em repouso. Pode não ter causa identificada ou ser secundária nomeadamente ao uso de corticoides, ao trauma, doença auto-imune, entre outras. Nas fases mais precoces da doença o diagnóstico é feito através de ressonância magnética.

Síndrome doloroso do grande trocanter
Engloba um conjunto de condições caracterizadas por dor localizada na face lateral da anca. É mais frequente no sexo feminino e a vasta maioria dos casos responde favoravelmente com analgésicos, anti-inflamatórios, gelo local e fisioterapia. Nos casos refratários pode estar indicada medicação através de infiltrações e até mesmo cirurgia.

Outras causas de dor na anca
Tendinopatias; Sequelas de doença da anca na infância; Dor com origem noutras estruturas como a coluna lombar que é referida à anca; Hérnia inguinal; entre outras.

O diagnóstico é a chave principal para o tratamento adequado.
Caso apresente queixas similares às descritas, não hesite em contactar os nossos Ortopedistas especializados em Anca, em qualquer uma das unidades do Trofa Saúde Hospital.


Redigido por Dr. Pedro Leite (OM49238) e Dr. Daniel Soares (OM48520), Ortopedistas especializados em Anca no Trofa Saúde Hospital em Braga Centro e Alfena

Voltar

01 junho 2021

Campanha de Cirurgia Plástica, Estética e Reconstrutiva

01 junho 2021

Dia Mundial Sem Tabaco: nunca é tarde para deixar de fumar!

30 maio 2021

Excesso de peso e obesidade infantis: agir para um futuro...