Nutrição - Trofa Saúde Alfena Skip to main content

O que é?

A Nutrição é uma especialidade dedicada a avaliar a composição nutricional dos alimentos e as relações entre si e o impacto que têm na saúde e na doença. A alimentação e a forma como nos alimentamos desempenham um papel essencial na prevenção e tratamento de diversas doenças.

O papel do Nutricionista baseia-se no estudo da alimentação e nutrição, prevenção e  tratamento da doença em três áreas fundamentais: Nutrição clínica, Nutrição comunitária e Nutrição e restauração coletiva / controlo da qualidade.

O que trata?

O Grupo Trofa Saúde dispõe de uma consulta de Nutrição, capaz de o ajudar a reeducar os seus hábitos alimentares.  Nesta consulta, temos disponíveis os melhores profissionais de saúde, capazes de o auxiliar no seguinte:

  • Alimentação saudável e equilibrada
  • Perda de peso
  • Aumento de Peso
  • Alimentação em várias fases da vida: crianças, grávidas, seniores
  • Alimentação e desporto
  • Alimentação vegetariana
  • Intolerância / alergia alimentar
  • Diabetes, colesterol elevado.

 

Das patologias mais habituais destacam-se:

  • Síndrome do Intestino Irritável – a síndrome do intestino irritávelé um distúrbio funcional e um dos distúrbios gastrointestinais mais comuns, sendo uma das principais causas que levam a procurar a consulta de gastroenterologia. Esta é caracterizada por manifestações e alterações digestivas crónicas como dor abdominal, gases, diarreia e/ou obstipação e inchaço abdominal, sem que haja uma causa identificada. Normalmente, os sintomas surgem na adolescência ou no inico da idade adulta, com uma maior incidência nas mulheres do que nos homens.

 

  • Obesidade – A obesidade é uma doença crónica, que se pauta pela acumulação excessiva de massa gorda corporal, com latente impacto negativo na saúde, tendo implicações no aparecimento e desenvolvimento de diferentes patologias como a diabetes, a doença cérebro e cardiovascular, a patologia osteoarticular e alguns dos cancros. A obesidade resulta do excesso de ingestão de calorias. Ao consumir mais do que aquilo que necessita, ou seja, ao consumir mais energia do que aquela que dispende/gasta, a gordura acumula-se no organismo. As necessidades energéticas necessárias variam conforme a pessoa, dependendo da idade, do sexo, do nível de atividade física e da taxa metabólica.

 

  • Intolerância à lactose – a intolerância à lactosetem sintomas muito diversificados de pessoa para pessoa que podem ser quase impercetíveis até possuírem gravidade que afete bastante a qualidade de vida do doente, sendo uma das intolerâncias alimentares mais comuns que se caracteriza por uma deficiência parcial ou total de lactase, isto é, a enzima que é responsável pela hidrolisação da lactose, principal hidrato de carbono presente nos lacticínios, como o leite e os iogurtes.

 

  • Doença Celíaca – a doença celíacaé uma patologia autoimune gastrointestinal na qual existe uma sensibilidade crónica ao glúten e ocorre em indivíduos com uma pré-disposição genética.

 

  • Dislipidemia – As dislipidemias são consideradas como um fator de riscopara o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, uma vez que estão envolvidas no processo da  A aterosclerose é um processo no qual ocorre a acumulação progressiva e excessiva de gordura nas paredes das artérias. A acumulação de gorduras nas paredes das artérias pode levar à obstrução parcial ou total do fluxo sanguíneo afetando a irrigação dos órgãos como o cérebro e o coração.

 

  • Colestrol – o colesterolé uma gordura produzida pelo nosso organismo e fundamental para o funcionamento do mesmo mas que na grande parte das vezes acaba por ser vista como prejudicial e um risco para a saúde cardiovascular.

 

  • Triglicerídeos– os triglicerídeos ou triglicéridos  constituem uma fonte de energia, uma vez que podem ser convertidos em glicose no fígado ou armazenados no tecido adiposo para serem utilizados como fonte de energia em períodos de jejum prolongado ou quando a disponibilidade de hidratos de carbono é reduzida. Os triglicerídeos são um tipo de gordura que se encontra no sangue, para além do colesterol que provêm da alimentação, nomeadamente da transformação dos hidratos de carbono (açúcares) em gordura. Estes podem assim ser obtidos através da alimentação ou podem ser produzidos pelo corpo, nomeadamente pelo fígado, quando existe um consumo energético excessivo.

 

Outra área igualmente acompanhada pela Nutrição são as doenças do comportamento alimentar, destacando-se:

 

  • Pica – a Pica é uma doença de comportamento alimentar caracterizada pelo consumo de substâncias que não são alimentos. As substâncias tipicamente ingeridas tendem a variar com o que existe disponível, sendo as mais comuns: papel, sabonete, tecido, cabelo, corda, lã, terra, giz, pó de talco, tinta, metal, pedras, carvão, cinza, argila, amido ou gelo.

 

  • Perturbação de ruminação – a perturbação de ruminação é um distúrbio caracterizado pela regurgitação repetida dos alimentos após a sua ingestão. Os alimentos ingeridos e que podem estar parcialmente digeridos voltam à boca sem a ocorrência de náusea, vómito involuntário ou enjoo. A comida pode depois ser novamente mastigada e “cuspida” ou novamente engolida.

 

  • Perturbação de evitamento – na perturbação de evitamento, também denominada de restrição da ingestão alimentar, a pessoa consome quantidades de alimentos mais reduzidas e/ou evita determinados alimentos. Como consequência desta restrição alimentar pode existir perda de peso e/ou carências nutricionais. A restrição alimentar pode dever-se a características sensoriais dos alimentos, como por exemplo, cor, textura, temperatura, cheiro ou sabor.

 

  • Anorexia nervosa – a anorexia nervosa é uma doença de comportamento alimentar caracterizada por uma recusa e restrição alimentar motivada pela manutenção de um peso e uma imagem corporal considerada como ideal e consequente fobia de aumento de peso. Esta restrição alimentar, com perda de peso associada, leva na grande maioria dos casos a uma desnutrição e a consequências graves para a saúde do indivíduo.

 

  • Bulimia nervosa – na bulimia nervosa e, contrariamente à anorexia, o indivíduo apresenta episódios recorrentes de ingestão de alimentos de uma forma compulsiva, seguidos de comportamentos purgativos e compensatórios, de forma a prevenir o ganho de peso resultante da ingestão alimentar.

 

  • Perturbação da ingestão compulsiva – tal como o nome indica na perturbação de ingestão compulsiva e, tal como acontece no caso da bulimia nervosa, existem episódios de ingestão de alimentos de uma forma compulsiva e descontrolada. No entanto, ao contrário do que acontece na bulimia nervosa, nesta situação não existem comportamentos purgativos (como por exemplo: indução do vómito, toma de laxantes ou exercício físico excessivo) com o objetivo de eliminar o excesso de calorias, pelo que uma parte dos pacientes apresenta excesso de peso ou obesidade.

 

Índice de Massa Corporal

O IMC (Índice de Massa Corporal) é um indicador que serve para avaliar o peso do individuo, permitindo avaliar se está com excesso de peso ou obesidade. Para além do IMC existem outras ferramentas que complementam a avaliação, conforme discutiremos adiante.

IMC = Peso (kg) / Altura (m)2

  • Baixo peso IMC < 18,5
  • Peso normal IMC 18,5 – 24,9
  • Excesso de peso IMC 25 – 29,9
  • Obesidade IMC >30
  • Obesidade grau I (Moderada) IMC 30-34,9
  • Obesidade grau II (Severa) IMC 35-39,9
  • Obesidade grau III (Mórbida) IMC >40
ver mais
ver menos